top of page

Porque motivo algumas pessoas têm tanta dificuldade em ganhar peso?

Há pessoas com “sorte” e outras menos afortunadas. Uns ganham peso facilmente, outros não engordam por nada. A estes chamamos “magros constitutivos” e são um interessante objecto de estudo para percebermos o que neles difere. E uma coisa não parece ser - a taxa metabólica basal. Esta é essencialmente determinada pela massa magra e a variabilidade interindividual é pequena demais para explicar esta diferença na propensão para ganho de peso. E estudos de overfeeding, com 50-100% acima das necessidades energéticas, mostram esta diferença e as características do “metabolismo abençoado” de alguns. Os tais magros constitutivos em comparação com fenótipos mais “poupados”. Porquê?

Embora o comportamento individual seja determinante, alguns aspectos característicos não-comportamentais desses “magros constitutivos” foram já identificados. Nomeadamente um aumento superior do dispêndio energético espontâneo após uma refeição ou excedente calórico ou quando expostos ao frio, menor adaptação metabólica ao deficit energético (uma menor redução do gasto total), melhor transição para a oxidação de lípidos no período pós-prandial mesmo em dieta hipercalórica, maior sensibilidade no ajuste intuitivo do aporte calórico às necessidades efectivas, níveis mais baixos de grelina, e um aumento maior e mais precoce de GLP-1 e PYY após refeição (duas hormonas que inibem o apetite). Além disso estudos recentes sugerem diferenças metabolómicas no tecido adiposo branco, e uma maior densidade de mitocôndrias e actividade do Complexo II. Sugestivos de uma capacidade oxidativa superior que poderá “proteger” do ganho de peso.


Portanto sim. Existem diferenças que vão além do comportamento alimentar e actividade física, condicionadas pela genética e epigenética mas que não se sobrepõem ao balanço energético e não determinam por si a composição corporal. Temos apenas indivíduos que podem ser um pouco mais relaxados com a alimentação e cometer excessos com consequências menos notórias a nível do peso corporal. A vida é mesmo injusta e nem sempre os resultados são proporcionais ao esforço se nos compararmos aos outros. Mas é também verdade que estes magros constitutivos também têm uma luta difícil para por uns quilos em cima. Não podemos ser mais do que nós próprios e faz-se o melhor com o que se tem. É a vida...

0 comentário

Comments


bottom of page