top of page

O consumo de soja e níveis de testosterona no homem

O efeito da soja nos níveis de testosterona e feminização é um tema controverso e sobre o qual a própria literatura científica não é consistente. O papel das isoflavonas presentes na soja e noutros alimentos de origem vegetal como disruptor endócrinoé debatido há mais de 70 anos com base observacional e experimental apenas em animais. Resultados que devem ser intrepertados com cautela e sem extrapolações abusivas já que a glucoronidação e eliminação parece superior no Homem. E apesar de existirem meta-análises a sugerir que o impacto não se verifica, é de notar o patrocínio do Soy Nutrition Institute e da United Soybean Board.


No entanto, a evidência clínica do impacto das isoflavonas é meramente circunstancial e com base em estudos de caso com um consumo muito elevado, 6-9 vezes superior ao que encontramos na Ásia (25-50 mg), ou na presença de doenças crónicas que podem igualmente afectar os níveis de testosterona e a fertilidade. Ensaios clínicos mostram-nos uma inibição moderada da 17,20-liase nas adrenais que poderá resultar numa menor produção de androgénios. Mas a testosterona produzida nas adrenais pelo homem representa uma ínfima parte do total, maioritariamente produzida pelos testículos e que não parece afectada com doses até pelo menos 70 mg/dia. O equivalente a 300 g de tofu todos os dias. Importante também lembrar que os isolados proteicos de soja têm um teor muito baixo de isoflavonas, perdendo 80-90% durante o processamento.


Portanto, não é expectável que um consumo dentro da razoabilidade, mesmo que diário, possa afectar os níveis de testosterona e a fertilidade no homem. E exercendo um efeito modelador do receptor estrogénico, as isoflavonas em geral apresentam baixa afinidade e são eficazmente metabolizadas pelo organismo. Amenizando assim o seu potencial efeito como disruptor endócrino. Muita teríamos nós de comer...

0 comentário

Comments


bottom of page