top of page

Efeitos dos esteróides anabolizantes nas mulheres

Atualizado: 23 de jul. de 2021

Sim as mulheres também jardam, e não é pouco. A utilização de esteróides anabolizantes (EA) pelas mulheres tem aumentado significativamente nos últimos anos, particularmente para fins estéticos e não tanto para melhoria de desempenho. Os efeitos podem ser dramáticos a nível do aumento de massa magra e redução da gordura corporal, é certo, mas não sem custos e riscos. Mesmo nas doses mais modestas, e com as substâncias menos androgénicas habitualmente usadas. Os mais comuns são a oxandrolona, stanozolol e a metenolona.


E que efeitos são esses? Um bem frequente é a hipertrofia do clitóris em diferentes graus, um “micropénis” vestigial muito sensível a androgénios. Apesar de pouco falado e tabu é um dos colaterais mais desconfortável. Também o acne pelo aumento da oleosidade da pele, masculinização da voz por encurtamento e espessamento das cordas vocais, a chamada voz do pato Donald bem caracterizante que não normaliza com o tempo, queda de cabelo, hirsutismo, aumento da libido durante o uso, e atrofia dos seios que os implantes obviamente mascaram. A amenorreia é decorrente da inibição das gonadotropinas, embora nem sempre em anovolação. A verdade é que as mulheres que usam EA reportam a ausência de menstruação como algo positivo, e o retorno pós-ciclo como sinal de normalização. Mas além disso verificam-se alterações significativas de humor, com depressão e irritabilidade decorrente da quebra nos estrogénios e serotonina, exacerbada com a infeliz ideia de usar inibidores de aromatase (anastrozole, letrozole ou o exemestano, menos comum). Muito evidente no período pós em que se instala um deficit andro e estrogénico, com sintomas depressivos, melancólicos, comportamentos compulsivos, e baixa motivação em geral.


Se vale a pena o risco? Não me cabe a mim julgar e fazer juízos de valor. O importante é que as escolhas sejam feitas em consciência dos riscos, e não por fé no preparador ou bro do ginásio. Para mais tendo em conta a fortíssima associação entre o uso de EA e distúrbios alimentares e de autoimagem, enquadramentos de risco para um forte impacto psicológico no período de cessação. E sim podem manifestar-se com doses tão baixas como 10 mg de oxandrolona, que para mulher não é assim tão baixa quanto isso. Isto se for mesmo oxandrolona que estão a tomar...

0 comentário

Comments


bottom of page